RIUIS

RIUIS – Repositório de Instrumentos da Unidade de Investigação em Saúde

 

Titulo original Perceptions of Empowerment in Midwifery Scale (PEMS)
Autor (es) da versão original Matthews, Scott e Gallagher, 2009
Nome em português Escala da Perceção do Empoderamento dos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica – PEMS-PT
Autor (s) da versão portuguesa Carolina Henriques, Helena Catarino, João Franco
Condição de saúde/objetivo Conhecer o nível de empoderamento dos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica em Portugal.
População alvo Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica
Dimensões O primeiro fator – ‘Gestão Eficaz e Relações Interdisciplinares’ e inclui nove itens (1, 3, 4, 5, 7, 10, 15, 16, 17)

O segundo fator- ‘Prática Sustentada e Autónoma’ e integra quatro itens (2, 8, 11, 12)

O terceiro fator – ‘Comunicação e Assentimento Profissional’ inclui dois itens (6, 9)

O quarto fator – ‘Reconhecimento na Equipa de Saúde’ inclui um único item (13)

O quinto fator – ‘Formação e Educação’ com um único item (14)

Itens 17
Sistema de pontuação A versão portuguesa da Escala da Perceção do Empoderamento dos Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstétrica – PEMS-PT, é uma escala tipo likert de cinco pontos (1- Concordo Totalmente; 2 – Concordo; 3 – Não Concordo / Nem Discordo; 4 – Discordo; 5 – Discordo Totalmente), constituída por 17 itens, em que o valor mínimo (Xmin.) é de 17 e o valor máximo (Xmáx.) é de 85. Quanto mais alto for o valor obtido na escala (aproximando-se do valor máximo), menor o nível de empoderamento percecionado pelos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica e quanto mais baixo for o valor obtido na escala (aproximando-se do valor mínimo), maior o nível de empoderamento percecionado pelos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica.
Propriedades psicométricas Com os resultados obtidos, e tendo sido respeitados os critérios metodológicos explicitados anteriormente, os 17 itens da escala foram incluídos na análise fatorial, determinando-se o Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) e o teste de esfericidade de Bartlett´s, medindo o nível de adequação dos dados para a análise fatorial.

Observou-se que o Kaiser-Meyer-Olkin indicou um índice de 0.719, e o teste de esfericidade de Bartlett`s foi amplamente significante (p≤0.000). Assim, estes valores indicam que a análise de componentes principais pode ser feita, uma vez que o valor de medida do Kaiser-Meyer-Olkin (KMO) é aceitável, sendo que estes resultados indicam a adequação dos dados para a realização da análise fatorial.

A validade de construto foi efetuada tal como no original, através da análise fatorial em componentes principais com rotação ortogonal pelo método de Varimax. Pela análise efetuada, obtivemos melhores resultados com uma matriz de cinco fatores, em que a mesma explica cerca de 72,90% do fenómeno em estudo.

Obteve-se um coeficiente de fidelidade estandardizado de 0,832, valor este considerado de muito bom (Freire & Almeida, 2001) face a 17 itens da escala, em que todos eles apresentam uma correlação com o total da mesma superior a 0,200.

Modo de Preenchimento Autopreenchimento
Tempo de preenchimento 10 minutos
Principais referências bibliográficas Matthews, A., Scott, A., Gallagher, P. The Development and Psychometric Evaluation of the Perceptions of Empowerment in Midwifery Scale. Midwifery 25, p. 327-335, 2009. Acedido a [13 de Novembro de 2010]. Disponível em www.elsevier.com/locate/midw

Henriques, C., Pereira H. & Sousa J. (2012). Validação para a população portuguesa da escala – Perceptions of Empowerment in Midwifery Scale (PEMS). Medwave, 2012 Oct;12(9):e5532 doi: 10.5867/medwave.2012.09.5532. ISSN: 0717-6384