RIUIS

Título do Instrumento Escala de Conforto Holístico – Doentes Crónicos (HCQ-PT-DC)
Ano 2013
Titulo original Hospice Comfort Questionnaire (HCQ)
Autor(es) da versão original Novak, Kolcaba, Steiner & Dowd (2001)
Autor(es) da versão portuguesa Ana Querido; Maria dos Anjos Dixe

querido.ana@gmail.com

Condição de saúde/objetivo Doença crónica

Avaliação do conforto

População alvo Pessoas adultas com doença crónica

querido.ana@gmail.com

Dimensões Escala que avalia o conforto segundo o modelo conceptual de Kolcaba (2003) em 3 fatores correspondentes aos estados de conforto: Alívio, Tranquilidade e Transcendência.
Itens 26 Itens, ordenados.

Alívio (10 itens): 6,12,13,14,16,22,24, 39, 45, 48

Tranquilidade (9 Itens): 10.15.17.23.28.34.37.43.46

Transcendência (7 Itens): 8,9,11,18,20,38,47

Sistema de pontuação Cada item da escala pontua de 1 – Discordo Totalmente a 6– Concordo Totalmente.

Os itens 6,12,13,14,17,22,24,34,38,39,43,45,48, apresentam-se redigidos de forma negativa face ao conforto.

Para efeitos de pontuação os itens negativos devem ser invertidos.

No total as pontuações variam de 26 a 156. Quanto maior for a pontuação, maior o índice de conforto.

Propriedades psicométricas Tradução: equivalência semântica obtida por duas traduções, retroversão, obtenção de uma versão de consenso e revisão clínica da qualidade da tradução. O painel de peritos foi constituído por linguistas, enfermeiros e professores. O pré-teste do instrumento foi realizado com recurso ao Thinking aloud .

Fidelidade: Testada pela aplicação a 205 pessoas com doença crónica. Coeficiente de correlação do item com o total da escala sem o item entre 0,25 e 0,52. Alfa de Cronbach=0.862 para totalidade da escala, Fator Alívio=0,752; Fator Tranquilidade=0,731 e Fator Transcendência=0,731.

Validade de conteúdo: análise de compreensão e aceitação por um enfermeiro e um painel constituído por 8 doentes em cuidados paliativos.

Validade de constructo: análise fatorial a uma amostra de 205 doentes. Análise dos componentes principais com Rotação Varimax. Modelo de matriz fatorial explicativa de 39,93% da variância total- KMO=0,809, Teste de esfericidade de Bartlett=p<0,0001.

Modo de preenchimento Preenchimento pelo próprio em folha de tamanho A4/ computador.

Nos casos de baixo grau de literacia, recomenda-se a aplicação em entrevista face-a-face, com leitura dos itens pelo entrevistador.

Alternativa para pessoas com limitações físicas, défice de visão ou acamadas recomenda-se a utilização do instrumento em formato de calendário de secretária:

– Decompor o instrumento de modo a que cada questão e opção de resposta ocupe uma folha de tamanho 27cmx15cm, na horizontal, separando também o texto relativo às instruções de preenchimento. Os tamanhos de letra recomendados 28-36.

Tempo de preenchimento 20-30 minutos
Principais referências bibliográficas Kolcaba, Katharine (2003). Comfort Theory and Practice: A vision for Holistic Health Care and Research. New York: Springer Publishing Company.

Novak, B., Kolcaba, K., Steiner, R., & Dowd, T. (2001). Measuring comfort in caregivers and patients during late end-of-life care. American Journal of Hospice & Palliative Care, 18(3), 170-180.

Querido, A. (2013). A Promoção da Esperança em Fim de Vida – Avaliação da Efetividade de um Programa de Intervenção em Pessoas com Doença Crónica Avançada e Progressiva, 312 pp.. Lisboa: UCP. Tese apresentada para obtenção do grau de doutor em enfermagem à Universidade Católica Portuguesa.