RIUIS

Título do instrumento Escala de Qualidade de Vida de McGill – MQOL-PT-DC
Ano 2013
Titulo original McGill Quality of Life Questionnaire (MQOL)
Autor(es) da versão original Cohen et al. (1995)
Autor(es) da versão portuguesa Ana Querido; Maria dos Anjos Dixe

querido.ana@gmail.com

Condição de saúde/objetivo Doença crónica

Avaliação da Qualidade de vida (QV) num horizonte temporal de 2 dias

População alvo Pessoas adultas com doença crónica avançada
Dimensões Escala que avalia a Qualidade de vida em 4 fatores:

Qualidade de Vida Física (QVF), Sintomas Psicológicos (SP), Bem-estar espiritual (BEE) e Apoio (A).

Itens 16 Itens, classificados numa escala numérica de intensidade de 0 a 10 de acordo com a escala original.

O instrumento apresenta uma questão aberta que avalia perceção das pessoas doentes sobre as mudanças de QV nos últimos 2 dias e os fatores influenciadores dessas mudanças.

Sistema de pontuação Cada item da escala pontua de 0 – pior QV possível a 10 – Melhor QV possível. No total as pontuações variam de 0 a 10, constituindo a média dos itens. Quanto maior for a pontuação, maior o índice de QV.

Para a pontuação final devem inverter-se os itens 1,2,3,5,6,7,8.

Propriedades psicométricas Tradução: equivalência semântica obtida por duas traduções, retroversão, obtenção de uma versão de consenso e revisão clínica da qualidade da tradução. O painel de peritos foi constituído por linguistas, enfermeiros e professores. O pré-teste do instrumento foi realizado com recurso ao Thinking aloud.

Fidelidade: Testada pela aplicação a 205 pessoas com doença crónica. Coeficiente de correlação do item com o total da escala sem o item entre 0,40 e 0,63. Alfa de Cronbach=0.877 para totalidade dos 16 itens, QVF=0,777, SP=0,806; BEE=0,823 e A=0,697.

Validade de conteúdo: análise de compreensão e aceitação por um enfermeiro e um painel constituído por 8 doentes em cuidados paliativos.

Validade de constructo: análise fatorial a uma amostra de 205 doentes. Análise dos componentes principais com Rotação Varimax. Modelo de matriz fatorial explicativo de 63,30% da variância total- KMO=0,865, Teste de esfericidade de Bartlett- p<0,0001.

Validade de critério: Comparações efetuadas com a Qualidade de Vida Global (QVG) avaliadas por uma pergunta-escala (Single Item Scale) com valores entre 0,36 e 0,51 (p<0,001).

Modo de preenchimento Preenchimento pelo próprio em folha de tamanho A4/ computador.

Nos casos de baixo grau de literacia, recomenda-se a aplicação em entrevista face-a-face, com leitura dos itens pelo entrevistador.

Alternativa para pessoas com limitações físicas, défice de visão ou acamadas recomenda-se a utilização do instrumento em formato de calendário de secretária:

– Decompor o instrumento de modo a que cada questão e opção de resposta ocupe uma folha de tamanho 27cmx15cm, na horizontal, separando também o texto relativo às instruções de preenchimento. Os tamanhos de letra recomendados 28-36.

Tempo de preenchimento 20-30 minutos
Principais referências bibliográficas Cohen, S. R., Mount, B. M., Strobel, M. G., & Bui, F. (1995). The McGill Quality of Life Questionnaire: a measure of quality of life appropriate for people with advanced disease. A preliminary study of validity and acceptability. Palliative Medicine, 9(3), 207-219.

Cohen, S. R., Hassan, S. A., Lapointe, B. J., & Mount, B. R. (1996a). Quality of life in HIV disease as measured by the McGill quality of life questionnaire. AIDS, 10(2), 1421-1427.

Cohen, S., Boston, P., Mount, B., & Porterfield, P. (2001). Changes in quality of life following admission to palliative care units. Palliative Medicine, 15(5), 363-371.

Querido, A. (2013). A Promoção da Esperança em Fim de Vida – Avaliação da Efetividade de um Programa de Intervenção em Pessoas com Doença Crónica Avançada e Progressiva, 312 pp.. Lisboa: UCP. Tese apresentada para obtenção do grau de doutor em enfermagem à Universidade Católica Portuguesa.