RIUIS

Titulo da versão original Protocolo de avaliação do frênulo da língua com scores para bebês
Autor(es) da versão original Roberta Lopes de Castro Martinelli, Irene Queiroz Marchesan, Giédre Berretin-Felix
Titulo da versão portuguesa Protocolo de avaliação do frenulo da língua com scores para bebés
Autor(es) da versão portuguesa Inês Pimentel, Maria dos Anjos Dixe, Ana Marques

Email de contacto – ines_pimentel29@hotmail.com

Condição de saúde/objetivo Identificar alterações dos movimentos da língua que possam causar interferência na amamentação
População alvo Bebés nascidos de termo, excluindo-se prematuridade, complicações perinatais, presença de anomalias craniofaciais, doenças neurológicas, síndromes genéticas visíveis no momento da avaliação e alimentação artificial
Dimensões Motricidade orofacial e deglutição
Itens 30
Sistema de pontuação a) O protocolo contém pontuações, com escala progressiva, em que zero significa normalidade, enquanto a pontuação um e dois indicam alterações;

b) Para a identificação de alteração nos movimentos da língua, no protocolo foram estabelecidas pontuações parciais e totais. As pontuações parciais são importantes na medida em que na impossibilidade de se aplicar o protocolo por completo é possível fazer a indicação de cirurgia somente com a Avaliação Anatomofuncional;

c) Pode considerar-se interferência do frénulo nos movimentos da língua quando:

–  nos itens da História Clínica quando a soma for igual ou maior que quatro;

–  nos itens um, dois e três da Avaliação Anatomofuncional a soma for igual ou maior que quatro;

–  nos itens um, dois, três e quatro da Avaliação Anatomofuncional for igual ou maior que sete;

–  a soma da avaliação da Sucção Não Nutritiva e Nutritiva for igual ou maior que dois; a soma do Exame Clínico for igual ou maior que nove;

–  a soma da História Clínica e do Exame Clínico for igual ou maior que treze.

Propriedades psicométricas Índice de Kappa de Cohen= 1,00; p<0,001
Modo de preenchimento Observação
Tempo de preenchimento Aproximadamente entre 10 a 15 minutos
Principais referências bibliográficas Buryk, M., Bloom, D., & Shope, T. (2011). Efficacy of neonatal release of ankyloglossia: a randomized trial. Official Journal of the American Academy of Pediatrics, 280-288.

Hogan, M., Westcott, C., & Griffiths, M. (2005). Randomized, contolled trial of division of tongue-tie in infants with feeding problems. Journal of Paediatrics and Child Health, 246-250.

Martinelli, R. L., Marchesan, I. Q., & Berretin-Felix, G. (2013). Protocolo de avaliação do frênulo lingual para bebês: relação entre aspectos anatômicos e funcionais. CEFAC, pp. 599-610.

Martinelli, R. L., Marchesan, I. Q., Rodrigues, A. C., & Berretin-Felix, G. (2012). Protocolo de avaliação do frênulo da língua em bebês. Revista CEFAC, pp. 138-145.

Pimentel, IM (2016). Adaptação cultural, linguística e psicométrica do Protocolo de avaliação do frênulo da língua com escores para bebês. Dissertação de mestrado em terapia da fala, área de especialização em motricidade orofacial e deglutição, Escola Superior de Saúde do Alcoitão, Lisboa